Dúvidas Frequentes

Restaurações

Restaurações

Restauração direta de resina composta

Restauração de Resina Direta

Restauração indireta tipo onlay cerâmico confeccionada no laboratório de prótese Aprobato. A peça está em modelo de gesso, pronta para ser cimentada na boca do paciente.

Restauração de Resina Indireta

Quais são os tipos de restaurações existentes?

As restaurações podem ser diretas e indiretas.
As restaurações diretas são as mais comumente empregadas. São realizadas pelo cirurgião dentista diretamente na boca do paciente, em uma única sessão. Atualmente, o principal material empregado nas restaurações diretas é a resina composta (cor branca). Porém, as restaurações de amálgama (cor acinzentada ou escura) continuam sendo uma opção válida.
As restaurações indiretas são aquelas onde o cirurgião dentista faz um preparo dental (desgaste no dente), molda a boca do paciente e envia um modelo de gesso, que é a cópia idêntica dos dentes do paciente, para um laboratório de prótese realizar a restauração. Após a prova da peça protética, a mesma pode ser cimentada no dente preparado. Consequentemente existe a necessidade de mais de uma sessão para a realização de restaurações indiretas. Os materiais utilizados são cerâmica (porcelana), cerômero, resina ou ligas metálicas.

Clique nos links abaixo para obter mais informações sobre Restaurações.

Quando empregar uma restauração direta ou indireta?

Basicamente, as restaurações diretas são bem indicadas para o preenchimento de cavidades pequenas ou médias. Ou seja, quando existe um remanescente dental que propicia a “proteção” da restauração. Por ser realizada em uma única sessão, utilizando um material disponível no próprio consultório odontológico, o custo da restauração direta é sempre menor.
Já as restaurações indiretas são preferencialmente utilizadas em cavidades mais extensas ou em casos de preferência técnica por parte do profissional. Elas oferecem maior reforço do remanescente dental. Os custos laboratoriais protéticos e o maior número de consultas para executar a restauração, tornam o tratamento bem mais oneroso. Os inlays, onlays, incrustações e as coroas são exemplos de restaurações indiretas.

Qual é o melhor material para as restaurações diretas?

O melhor material restaurador depende do caso clínico e da expectativa do paciente.
Porém, em função da exigência estética atual, dentistas e pacientes têm dado preferência para a confecção de restaurações de resina em relação às restaurações de amálgama.
Além disso, considerável progresso tem sido alcançado no desenvolvimento dos sistemas adesivos para a confecção das restaurações de resina, bem como, da resina propriamente dita. Com certeza, este fator também tem contribuído decisivamente para o uso deste material.

E o melhor material para as restaurações indiretas (confeccionadas em laboratório de prótese)?

Conforme explicado na resposta anterior, o melhor material para as restaurações indiretas também depende do caso clínico e da expectativa do paciente.
Devido a grande exigência estética atual, a cerâmica (porcelana) têm sido uma boa opção. Ela possui propriedades mecânicas e físicas superiores às resinas e cerômeros. Além disso, a sua estabilidade de cor é excelente.

Quando devo substituir uma restauração?

Primeiramente, é importante saber que as restaurações têm um “tempo de vida útil” e após certo período, elas precisam ser substituídas. A sua durabilidade depende de inúmeros fatores relacionados ao procedimento realizado pelo cirurgião dentista e aos hábitos do paciente.
A avaliação da necessidade de substituir uma restauração envolve basicamente:
- questões biológicas: quando existe um valamento entre o dente e a restauração, permitindo a infiltração de bactérias e a recidiva da lesão cariosa. Este diagnóstico pode ser clínico ou radiográfico;
- questões funcionais: quando houve uma fratura da restauração preexistente ou de parte do remanescente dental;
- questões estéticas: dentes anteriores (da frente) restaurados com resina composta necessitam da substituição da restauração com maior freqüência para a manutenção das características estéticas do material, devido à alta exigência estética destes dentes. Além disso, o paciente pode solicitar a substituição de restaurações metálicas (amálgama ou incrustações metálicas) dos dentes posteriores (do fundo) por restaurações de resina ou cerâmica.

Perguntas e respostas elaboradas pelo Dr. Marcius Angelo Iwai
O Dr. Marcius Angelo Iwai é especialista em Dentística Restauradora/ Estética Dental e Prótese Dentária. Pós graduação em Implantodontia. Pós graduação em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial.